quinta-feira, 27 de abril de 2017

NOTA DO SETORIAL NACIONAL LGBT DO PT EM APOIO A GREVE GERAL FORA TEMER!



NOTA DO SETORIAL LGBT EM APOIO A GREVE GERAL  de 28 de abril de 2017. 

Em defesa da Aposentadoria e dos Direitos Trabalhistas Fora Temer !!!!

O Setorial Nacional de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais do Partido dos Trabalhadores (Setorial LGBT do PT Brasil), apóia incondicionalmente a greve geral convocada pelas Centrais Sindicais em 28 de Abril. Estamos vivendo um  grave momento político que atravessa o  país. Fomos submetidos a um golpe de estado que depôs de forma ilegal a Presidenta Dilma e impôs um governo ilegítimo e de corruptos, aliados ao grande empresariado e a maioria conservadora do Congresso Nacional, uma ditadura do capital. Esses corruptos apresentam uma agenda de contra reformas; como as da Previdência e Trabalhista que representam  ataques e ameaças às conquistas históricas de mais de 90 anos de lutas da Classe Trabalhadora brasileira.  Conspiram contra a CLT e os direitos contemplados na Constituição de 1988. O governo golpista, apoiado pela Mídia Reacionária, mente eM uma campanha contra os direitos e quer  privatizar a Previdência Pública, para entregar aos barões do mercado bancos e especuladores, os recursos que foram  construídos e conquistados com suor e sangue, após muitas lutas dos trabalhadores e trabalhadoras desse país. Os Golpistas Querem desmontar a CLT, atacam os direitos fundamentais dos trabalhador@s, como o direito às férias, querem aumentar  jornada de trabalho, e a idade para a aposentadoria, ameaçando as mulheres gestantes,  e impondo mais repressão e violência patronal para impedir a organização sindical, entre outros ataques cruéis aos direitos trabalhistas. 

A aliança golpista, entre Mídia-Globo e Setores do Judiciário-Moro, promove perseguição política, como a covarde campanha de ataques contra o Presidente Lula. Somos Solidários a Lula,  nas ruas deteremos a ditadura !

A LUTA LGBT Unida, em Apoio  à greve Geral de 28 de abril de 2017, luta para  barrar as Contra Reformas e  defender os direitos e aposentadoria de todxs. 

A população LGBT  vive uma escalada de violações, ataques, violência, tortura e assassinatos.  O  terror do preconceito e da LGBTfobia diariamente violentam nossa população. O governo ilegítimo, através do golpe de estado, promove o desmonte de políticas públicas de direitos humanos, amplia os retrocessos e o fascismo, estimula os preconceitos, ataca direitos, sociais, humanos e trabalhistas. 
O Brasil é o país que mais assassina LGBT no mundo, em especial os assassinatos contra Travestis e Transexuais. O fascismo golpista ataca e persegue  nós LGBTs e os demais trabalhador@s, Mulheres, Jovens, Índios, as Religiões de Matriz Africana,  Sem Terras, Sem Tetos, pobres e negros em comunidades de favelas e periferias em todo Brasil, sob cerco das Polícias racistas e desumanas. 

Para barrar o fascismo, pelos direitos e contra o golpe, Nós LGBTs nos unimos às lutas pela Previdência Pública, pela aposentadoria e pelos Direitos Trabalhistas!  

E na luta em defesa d@s TRABALHADO@S   do campo e da cidade, o Setorial LGBT do PT  CONVOCA  toda a  militância LGBT para se unir  aos trabalhador@s em luta na resistência popular e sindical,  PARA DERROTAR OS ataques e ameaças contra os trabalhador@s E PRA POR PRA #FORATEMER !

TODOS A CURITIBA EM 10 DE MAIO EM DEFESA DE LULA! 

SETORIAL NACIONAL LGBT do PT
CONTRA LGBTFOBIA!  

EM DEFESA DA APOSENTADORIA!

EM DEFESA DA PREVIDÊNCIA PÚBLICA!

EM DEFESA DOS DIREITOS TRABALHISTAS!

CONTRA REFORMA TRABALHISTA!

NÃO AO MACHISMO E AO RACISMO!

FORA TEMER!

FORA GLOBO!

sexta-feira, 31 de março de 2017

Moro, Eichman e a banalidade do mal - Artigo de Roberto Ponciano

Nesse dia da infâmia, em  31 de Março de 1964 tropas do Exército derrubaram o governo constitucional do Presidente Jango, inaugurando período de terror com a ditadura militar e civil, repressão, tortura, violência, censura, racismo , perseguição aos pobres, juventude, mulheres, LGBTfobia e assassinatos, saqueio das riquezas nacionais. Os anos de chumbo que agora se repetem, com a ditadura de Moro, da Globo e do governo e congresso golpista, que perseguem e atacam as liberdades e destroem a democracia. Nessa data histórica para as lutas de nosso povo, O Setorial LGBT do PT publica em nosso Blog artigo companheiro Roberto Ponciano, que esta sendo perseguido pela Justiça, por defender a democracia e denunciar o golpe. 
Conclamamos a unidade LGBT, Popular e Sindical nas Frentes de Massa, em Memória aos presos, torturados, assassinados e expulsos do Brasil na ditadura militar, nas lutas e mobilizações contra o golpe, que depôs a Presidenta Dilma,  persegue o Presidente Lula e os movimentos sociais. O Golpe ataca a democracia, amplia o preconceito , a LGBTfobia, o Machismo e Racismo, a violência policial, e ataca os trabalhadores com as propostas de retrocesso e retirada dos direitos trabalhistas e a soberania. Manter a mobilização popular para derrotar a junta golpista , a Globo, Moro e seus aliados, rumo a Greve Geral em 28 de abril pra por pra #ForaTemer ! 

#ForaTemer    #GolpeNuncaMais  #DitaduraNuncaMais  #NenhumDireitoAMenos


Rumo dia 28 de abril Greve Geral !!!   

#LGBTContraOGolpe !




Charge: Latuff



por Roberto Ponciano


O mais assustador no que está acontecendo no Brasil não é uma questão apenas política, e ver que em poucos meses, uma democracia que demorou 20 anos para ser reconstruída pode se esfumar. Alain Badiou deixou claro em sua obra, que a negligência, a omissão de quem tem o dever de atuar, dos intelectuais e militantes políticos diante de um Evento é imperdoável. Não é simples omissão, é cumplicidade, é criminoso.
O assustador desta história é que o juiz Sérgio Moro não é um grande ator político, ao fim e ao cabo Moro é um Zé Ninguém (na acepção inclusive reicheana da miséria psíquica), um juiz de visão política turva, nenhuma envergadura intelectual, com inteligência limitada e visão zero de sociedade. Um mero Eichman, executor das ordens superiores.
No momento não sabemos claramente de quem, mas efetivamente desconfiamos da cumplicidade. De certo, do próprio Janot, o Procurador Geral da República, que deveria ter como dever ser o defensor da lei, mas tendo conhecimento dos pérfidos grampos de Moro, se não os autorizou, ratificou sua "legalidade".
O tragicismo tragicômico deste enredo e que nem um dos dois, nem Moro, nem Janot tem qualquer dúvida que estão perpetrando uma ilegalidade. Os grampos nos telefones de Lula, Dilma, Jacques Wagner, Rui Falcão não tem nada que ver com a Lava Jato. Fariam corar de vergonha ou inveja os tribunais de exceção de nazista e o senador Joseph McCarthy. Ambos sabem que as escutas são ilegais e imorais e são claramente persecutórias de um partido.
Hannah Arendt, ao acompanhar o julgamento de Eichman cunhou a famosa frase que é toda uma teoria "o mal é estrutural". O mal se torna banal quando um simples burocrata medíocre como Eichman é capaz de, sem sentir culpa ou remorso, fazer parte da engrenagem do mal.
Moro é Eichman, um burocrata medíocre, de passado obscuro e de futuro tenebroso. Não entra na história como herói, mas pela porta dos fundos, como um obscuro juiz camisa negra cujo único objetivo e despachar os vagões cheios de prisioneiros vermelhos. Para que o mal seja banalizado, como nos ensinou Levinas, é fundamental que o inimigo seja desumanizado.
Em todos os julgamentos de tribunal de exceção, antes de tudo é necessário retirar a humanidade do outro. E para que não tenham dúvida, não estou falando só dos tribunais nazistas e fascistas, o mesmo simulacro de tribunal foi usado nos julgamentos de Moscou e em outros tribunais "revolucionários" que não julgaram os indivíduos e seus crimes, mas suas ideias.
Moro não está investigando nenhum crime, seus atos deixaram de ter qualquer resquício de legalidade há muito tempo, e ele não se importa em autorizar gravações ignóbeis e as ceder (sabe-se lá em que condições) a maior rede de conspiração do Brasil (a TV Goebbels), que precisa repetir uma mentira mil vezes para que ela se transforme em verdade.
Assim, assassinam-se as garantias legais. Nenhum de nós é santo, se grampeassem meu telefone, não sei se iria primeiro para a cadeia ou primeiro para o inferno. Numa sociedade falso pudica (uma das características mor do fascismo), até os palavrões ditos em confidência são liberados para um "objetivo maior".
Desumanizar o adversário. Para que o terror fascista prevaleça é necessário que o adversário seja um cão, uma besta leprosa indesejável, que deve ser chutada e cuspida na rua. Os vermelhos, socialistas, comunistas. E não precisa ser socialista ou comunista, na sanha fascista do mal, quem estiver contra o fascismo já ganha sua adesão incondicional às ideias deste inimigo imaginário.
E tenho bastante moral para gritar contra isto. Quando se começou o linchamento moral de FHC, pelo suposto filho "ilegítimo", escrevi pequenos textos dizendo que assim nos igualávamos às idiotices do "sítio do Lula". Como democrata, como socialista, não me interessam as aventuras amorosas de FHC e o que aconteceu com a vida dele. Nem mesmo se ele tem um apartamento em Paris.
Este é o cretinismo do pensamento. não se constrói debate democrático e ideais firmes para um embate político sério assim. Posso sim falar de FHC que ele agora é cúmplice, quando tinha o dever de falar, vítima de 1964 que foi, quando o partido fundado por ele embarca na aventura de um golpe de Estado.
No meio desta tragédia os "inocentes". Membros da classe média que se pretendem imparciais, mas que com usa imparcialidade fazem coro às indecentes violações dos direitos humanos, da privacidade, do vale-tudo. Que correm para futricar as conversas privadas dos PeTistas (estas bestas-feras inimigas da humanidade), sequer se partindo da prévia que estas gravações são criminosas. Tudo tirado do seu contexto e repetido ad nauseam para causar o efeito que está causando.
Uma parte da classe média imaginada e pedindo "justiça' a quem rasgou seu papel de defender a justiça, e outra aderindo à barbárie fascista e agredindo pessoas que julgam adversárias na rua. O povo do "vai para Cuba". São duas faces da mesma moeda. Assim como a classe média alemã que foi cúmplice e beneficiária do nazismo e só abandonou o sonho do "Reich de mil anos", quando os aliados começaram a bombardear as cidades alemãs. Não há perdão para esta cumplicidade e covardia.
Cumplicidade e covardia ainda maior de parcela de "esquerdistas" que num momento de transe histórico e de risco de regressão sonham que estão às portas de uma Revolução e que Brasília é o Palácio de Inverno. Quixotescos traidores da democracia, serão os primeiros a serem vitimados.
Vivemos um momento de terror e transe, os próximos dias serão de confrontação de dois campos em disputa pelo futuro do país. Um dos campos tem o juiz medíocre Moro, o conspirador geral da República, Rodrigo Jannot, tem Bolsonaro, Malafaia, Feliciano. A junção do que há de mais perverso é uma ameaça de morte à inteligência. Um momento tão grave, que a maior oferta de cursos universitários não gerou uma juventude com ideias mais avançadas capaz de defender a democracia e a liberdade.
No local em que eu trabalho, servidores concursados usando trágicas camisas pretas entoarem gritos de guerra pró Moro, com juízes que só pensam no próprio umbigo. Os três estagiários jovens do local em que eu trabalho admiram Bolsonaro e duas disseram que preferem votar em Bolsonaro a votar em Lula. A mentira dita mil vezes cria um Zeitgest de espírito do tempo às avessas. Jovens de classe média ou baixa, que passam a acreditar no fascismo como redentor do nada, como redentor do caos que ele mesmo cria.
Não, não está ameaçado somente o Governo como um reles funcionário de quinta categoria, nosso Eichman dos tempos hodiernos, Sérgio Moro, é capaz de liberar os trens para os campos de concentração e tornar uma nação inteira refém dele. Quando um juiz de uma vara de primeira instância consegue poderes absolutos através da cumplicidade da PGR e da chantagem ilimitada e se coloca acima da Presidente eleita legitimamente.
A possibilidade de uma ditadura tecnocrata de burocratas torpes, míopes e obtusos, sem pauta social, sem projeto e no meio do caos de um país dividido é uma ameaça à todos os democratas.
Só há um remédio. Temos que ir para as ruas e vigiar.
Os fascistas não passarão!
Devemos defender a democracia pela qual nossos pais sofreram prisão, exílio, tortura e morte e derrotar o fascismo.
Não consigo imaginar viver num país onde qualquer Eichman de Curitiba possa golpear uma nação inteira! 

Roberto Ponciano é Mestre em Filosofia/Ética, em Letras Neolatinas e Especialista em Economia do Trabalho


terça-feira, 14 de março de 2017

15 de Março o Brasil vai parar em defesa dos aposentadoria Tod@s contra Reforma da Previdência #GreveGeral #ForaTemer

EM DEFESA DOS TRABALHADORES E APOSENTADOS DIA 15 DE MARÇO PARAR O BRASIL E DERROTAR A REFORMA DA PREVIDÊNCIA #FORATEMER !










Setorial LGBT do PT unido aos trabalhador@s da cidade e do campo,  participa das atividades do Dia NAcional de Luta e Grave Geral , que se realiza em todo Brasil , contra os ataques do governo golpista usurpador , em defesa  dos direitos dos trabalhadores e aposentados,  da Previdência Pública, denunciando a todo povo os planos do projeto golpista. Ocupamos as Ruas nesse 15 de Março, contra esse famigerado projeto, com Greves, paralisações, atos, e ações, passeatas , unindo as lutas do campo e cidade, as reivindicações das Mulheres no seu Mês de Luta, da Juventude , do movimento popular , e da luta LGBT e Negra, repudiando todos ataques da contra reforma, que penalizam a todas população trabalhadora. Com apoio da mídia #GloboGolpista, os manipuladores tentam iludir a todo povo com farsa da "quebra", "rombo" e "deficit" da Previdência , todas falsas, nada mais do que um projeto para entregar aos bancos, especuladores e grandes organizações financeiras internacionais, o patrimônio dos trabalhadores, a previdência pública. O plano golpista é limitar aposentadorias, cassar direitos , ampliar a idade mínima, e as contribuições, na meta de multiplicar os lucros das empresas, e ampliar o massacre contra os trabalhadores , precarizando quase que a volta da escravidão! Nosso povo já luta, trabalha por anos e vive em situação crônica. Os patrões serão os grandes beneficiados,  usam a crise para rasgar direitos , demitir. Nesse 15 de Março de Lutas, é nossa tarefa derrotar esse projeto, derrubar o governo golpista, e barrar sua tramitação no Congresso Nacional. Nossa mobilização diz não a todos outros planos de ataque como PL da Terceirização, e todo qualquer projeto visa retirar direitos! Em mobilização permanente, nas ruas, pela aposentadoria  tdxs em  Luta! Venceremos! 

TODO APOIO AO 15 DE MARÇO E AS JORNADAS DA GREVE GERAL  AS MOBILIZAÇÕES EM DEFESA  DA APOSENTADORIA DOS TRABALHADORES E CONTRA REFORMA DA PREVIDÊNCIA 

#FORATEMER !

NENHUM DIREITO A MENOS!

#LGBTContraOGolpe 
#LGBTContraReformadaPrevidência 
#ForaTemer 


Setorial LGBT do PT 



terça-feira, 18 de outubro de 2016

Lula: Por que querem me condenar


Artigo do Presidente Lula 
Em mais de 40 anos de atuação pública, minha vida pessoal foi permanentemente vasculhada -pelos órgãos de segurança, pelos adversários políticos, pela imprensa. Por lutar pela liberdade de organização dos trabalhadores, cheguei a ser preso, condenado como subversivo pela infame Lei de Segurança Nacional da ditadura. Mas jamais encontraram um ato desonesto de minha parte.
Sei o que fiz antes, durante e depois de ter sido presidente. Nunca fiz nada ilegal, nada que pudesse manchar a minha história. Governei o Brasil com seriedade e dedicação, porque sabia que um trabalhador não podia falhar na Presidência. As falsas acusações que me lançaram não visavam exatamente a minha pessoa, mas o projeto político que sempre representei: de um Brasil mais justo, com oportunidades para todos.
Às vésperas de completar 71 anos, vejo meu nome no centro de uma verdadeira caçada judicial. Devassaram minhas contas pessoais, as de minha esposa e de meus filhos; grampearam meus telefonemas e divulgaram o conteúdo; invadiram minha casa e conduziram-me à força para depor, sem motivo razoável e sem base legal. Estão à procura de um crime, para me acusar, mas não encontraram e nem vão encontrar.
Desde que essa caçada começou, na campanha presidencial de 2014, percorro os caminhos da Justiça sem abrir mão de minha agenda. Continuo viajando pelo país, ao encontro dos sindicatos, dos movimentos sociais, dos partidos, para debater e defender o projeto de transformação do Brasil. Não parei para me lamentar e nem desisti da luta por igualdade e justiça social.
Nestes encontros renovo minha fé no povo brasileiro e no futuro do país. Constato que está viva na memória de nossa gente cada conquista alcançada nos governos do PT: o Bolsa Família, o Luz Para Todos, o Minha Casa, Minha Vida, o novo Pronaf (Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar), o Programa de Aquisição de Alimentos, a valorização dos salários -em conjunto, proporcionaram a maior ascensão social de todos os tempos.
Nossa gente não esquecerá dos milhões de jovens pobres e negros que tiveram acesso ao ensino superior. Vai resistir aos retrocessos porque o Brasil quer mais, e não menos direitos.
Não posso me calar, porém, diante dos abusos cometidos por agentes do Estado que usam a lei como instrumento de perseguição política. Basta observar a reta final das eleições municipais para constatar a caçada ao PT: a aceitação de uma denúncia contra mim, cinco dias depois de apresentada, e a prisão de dois ex-ministros de meu governo foram episódios espetaculosos que certamente interferiram no resultado do pleito.
Jamais pratiquei, autorizei ou me beneficiei de atos ilícitos na Petrobras ou em qualquer outro setor do governo. Desde a campanha eleitoral de 2014, trabalha-se a narrativa de ser o PT não mais partido, mas uma "organização criminosa", e eu o chefe dessa organização. Essa ideia foi martelada sem descanso por manchetes, capas de revista, rádio e televisão. Precisa ser provada à força, já que "não há fatos, mas convicções".
Não descarto que meus acusadores acreditem nessa tese maliciosa, talvez julgando os demais por seu próprio código moral. Mas salta aos olhos até mesmo a desproporção entre os bilionários desvios investigados e o que apontam como suposto butim do "chefe", evidenciando a falácia do enredo.
Percebo, também, uma perigosa ignorância de agentes da lei quanto ao funcionamento do governo e das instituições. Cheguei a essa conclusão nos depoimentos que prestei a delegados e promotores que não sabiam como funciona um governo de coalizão, como tramita uma medida provisória, como se procede numa licitação, como se dá a análise e aprovação, colegiada e técnica, de financiamentos em um banco público, como o BNDES.
De resto, nesses depoimentos, nada se perguntou de objetivo sobre as hipóteses da acusação. Tenho mesmo a impressão de que não passaram de ritos burocráticos vazios, para cumprir etapas e atender às formalidades do processo. Definitivamente, não serviram ao exercício concreto do direito de defesa.
Passados dois anos de operações, sempre vazadas com estardalhaço, não conseguiram encontrar nada capaz de vincular meu nome aos desvios investigados. Nenhum centavo não declarado em minhas contas, nenhuma empresa de fachada, nenhuma conta secreta.
Há 20 anos moro no mesmo apartamento em São Bernardo. Entre as dezenas de réus delatores, nenhum disse que tratou de algo ilegal ou desonesto comigo, a despeito da insistência dos agentes públicos para que o façam, até mesmo como condição para obter benefícios.
A leviandade, a desproporção e a falta de base legal das denúncias surpreendem e causam indignação, bem como a sofreguidão com que são processadas em juízo. Não mais se importam com fatos, provas, normas do processo. Denunciam e processam por mera convicção -é grave que as instâncias superiores e os órgãos de controle funcional não tomem providências contra os abusos.
Acusam-me, por exemplo, de ter ganho ilicitamente um apartamento que nunca me pertenceu -e não pertenceu pela simples razão de que não quis comprá-lo quando me foi oferecida a oportunidade, nem mesmo depois das reformas que, obviamente, seriam acrescentadas ao preço. Como é impossível demonstrar que a propriedade seria minha, pois nunca foi, acusam-me então de ocultá-la, num enredo surreal.
Acusam-me de corrupção por ter proferido palestras para empresas investigadas na Operação Lava Jato. Como posso ser acusado de corrupção, se não sou mais agente público desde 2011, quando comecei a dar palestras? E que relação pode haver entre os desvios da Petrobras e as apresentações, todas documentadas, que fiz para 42 empresas e organizações de diversos setores, não apenas as cinco investigadas, cobrando preço fixo e recolhendo impostos?
Meus acusadores sabem que não roubei, não fui corrompido nem tentei obstruir a Justiça, mas não podem admitir. Não podem recuar depois do massacre que promoveram na mídia. Tornaram-se prisioneiros das mentiras que criaram, na maioria das vezes a partir de reportagens facciosas e mal apuradas. Estão condenados a condenar e devem avaliar que, se não me prenderem, serão eles os desmoralizados perante a opinião pública.
Tento compreender esta caçada como parte da disputa política, muito embora seja um método repugnante de luta. Não é o Lula que pretendem condenar: é o projeto político que represento junto com milhões de brasileiros. Na tentativa de destruir uma corrente de pensamento, estão destruindo os fundamentos da democracia no Brasil.
É necessário frisar que nós, do PT, sempre apoiamos a investigação, o julgamento e a punição de quem desvia dinheiro do povo. Não é uma afirmação retórica: nós combatemos a corrupção na prática.
Ninguém atuou tanto para criar mecanismos de transparência e controle de verbas públicas, para fortalecer a Polícia Federal, a Receita e o Ministério Público, para aprovar no Congresso leis mais eficazes contra a corrupção e o crime organizado. Isso é reconhecido até mesmo pelos procuradores que nos acusam.
Tenho a consciência tranquila e o reconhecimento do povo. Confio que cedo ou tarde a Justiça e a verdade prevalecerão, nem que seja nos livros de história. O que me preocupa, e a todos os democratas, são as contínuas violações ao Estado de Direito. É a sombra do estado de exceção que vem se erguendo sobre o país.
LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA foi presidente do Brasil (2003-2010). É presidente de honra do PT (Partido dos Trabalhadores)



Setorial LGBT do PT RJ manifesta sua solidariedade e seu apoio ao Presidente Lula , repudia a campanha fascista de perseguição política contra Lula e convoca tod@s para impedir qualquer ataque a LULA! #SomosTodosLula 

segunda-feira, 10 de outubro de 2016

Não A PEC da MORTE 241 ! Em Defesa do SUS , da Educação Pública dos Serviços Públicos!




Setorial Nacional LGBT do PT em conjunto com as entidades sindicais e populares denuncia ao povo brasileiro o famigerado, e criminoso projeto PEC 241 do governo golpista, ira impor um teto de gastos públicos da "responsabilidade", vão paralisar as políticas públicas no país , agravando a crise nas cidades , já sem recursos , sofrerão com cortes nos repasses federais aos municípios, excluindo milhões de pessoas que não terão acesso aos serviços públicos, mergulhando o país SEM aumento Real do Salário Mínimo, SEM atendimento aos Idosos, SEM escolas, SEM hospitais, SEM postos de saúde, SEM assistência, SEM quadras de esportes, SEM praças, SEM ruas, SEM bibliotecas, SEM centros de cultura e cidadania, SEM obras de infra-estrutura ! A PEC da Morte ira precarizar, extinguir programas sociais, para promoção da cidadania aos mais pobres, aposentados e necessitados, das periferias e cidades do interior! A PEC da Morte é um retrocesso e uma ruptura, com a política promovida pelo Presidente Lula, seu governo  promoveu maciços investimentos em programas sociais, grandes obras públicas, habitação popular, ampliando a Petrobras, alavancando a economia, ações que retiraram 40 milhões de pessoas da pobreza. Lula rejeitou as receitas e ajustes neoliberais do FMI, as privatizações, o discurso do estado mínimo, contra as empresas e os serviços públicos. Temer paga com sangue do povo, a fatura do golpe; promovendo a barbárie para atender aos bancos e a agiotagem internacional, fazem parte da conspiração golpista. Querem submeter o Brasil aos retrocessos dos ajustes neoliberais, cortar direitos, jogar nossas gerações futuras no lixo! Por que não param de pagar os juros das dívidas, esse sim o que sangra as finanças da união , estados e municípios. É a mesma trama do Projeto desse governo golpista, aprovado pelo Congresso de maioria reacionária e anti-povo, que ataca a Petrobras, e entrega as multinacionais nosso Pré Sal. Eles querem a volta ao passado de desigualdades, de fome , miséria e exclusão , e submissão a recolonização do Brasil. Dizemos Não a PEC da Morte 241 E SIM por mais investimentos e ampliar ainda mais a saúde, educação, segurança, obras, saneamento, habitação popular, previdência, cultura, assistência social, reforma agrária, defesa do meio ambiente, credito para agricultura familiar, promoção dos direitos humanos de crianças, Pessoas com Deficiência, da Mulheres, Juventude, Negros, e LGBT, Indígenas, Idosos e Povos de Terreiro ! Lutemos pelo Imposto de Grandes Fortunas e Auditoria Cidadã da Dívida ! Chega de sacrificar nosso povo trabalhador para o pagamento de dívidas e manter os privilégios dos 1% mais ricos. Dizemos não a PEC da Morte, Não aos retrocessos das Receitas do FMI e dos bancos !!
Dizemos não a PEC da Morte! Pela derrubada do governo Golpista! Conclamamos a tod@s em mobilização permanente defender o Brasil !
Não ao Desmonte do estado brasileiro, para pagamento de dividas aos especuladores e bancos!
POR POLÍTICAS PÚBLICAS EM DIREITOS HUMANOS LGBT POR CENTROS DE CIDADANIA E ATENDIMENTO E CONSELHOS !!!!
#NãoAPEC241 #PECdaMorte #ForaPEC241 #ForaTemer #ForaFMI !
Golpistas Não Passarão!
As ruas em defesa dos serviços públicos e servidor@s!
Setorial Nacional LGBT do PT



NOTA PÚBLICA DO SETORIAL LGBT DO PT RIO DE JANEIRO LGBT DO PT VOTA FREIXO 50!







COMPANHEIRXS, A comunidade LGBT apóia Freixo 50 para prefeito do Rio. A população do Rio de Janeiro volta às urnas no próximo dia 30, para eleger o futuro prefeito da cidade. Defendemos a candidatura de Freixo 50, do PSol. Nós, Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais, temos nessas eleições uma responsabilidade ainda maior e uma luta ainda mais árdua. Nossa cidade não pode ser conduzida por aglomerados religiosos LGBTfóbicos e machistas que propagam o ódio, o racismo, a intolerância e a perseguição às religiões de matriz africana. Esses aglomerados atentam contra a democracia, a diversidade e os direitos humanos e o Estado Laico. É do conhecimento geral o momento delicado pelo qual passamos, o golpe de estado contra Presidenta Dilma, lançou uma ofensiva de ataques constantes a direitos duramente conquistados. Portanto, um ataque frontal à própria democracia. Vamos continuar trabalhando por um PT socialista, com a participação decisiva da classe trabalhadora e dos movimentos sociais, nos Núcleos na base do povo. Vamos continuar lutando de mãos dadas com os movimentos sociais por nenhum direito a menos, pela preservação dos direitos trabalhistas, humanos e sociais, pelo “Fora Temer” e contra a entrega da Petrobrás e do Pré-Sal  às multinacionais. Na cidade do Rio de Janeiro, essas bandeiras de luta e reivindicações estão muito bem representadas na candidatura de Marcelo Freixo – 50. Apoiando a candidatura de Freixo, estamos defendendo um programa político popular que realmente esteja de acordo com os anseios da população, especialmente a população mais pobre, das favelas,  que precisam de mais atenção à saúde, à moradia, educação, transporte, cultura, assistência, direitos humanos, sobretudo por políticas públicas  para população LGBT, dos negros, mulheres, juventude, crianças. A direita golpista tenta via mídia reacionária criminalizar e acabar com nossas lideranças, como na brutal e covarde perseguição contra Lula, mas firmes, unindo nossa militância, nossos movimentos sociais, nosso PT e, em conseqüência, com a esquerda em geral pela resistência. As ruas contra Reformas, Não a PEC da Morte 241, Fascistas e golpistas não passarão! Nossas forças políticas, hoje e amanhã, estarão unidas no PT e aos partidos irmãos de luta , como o PSOl e PCdoB e movimentos populares. Vamos com a militância LGBT do PT para as ruas, para combater o fundamentalismo religioso, o ódio, a intolerância, o preconceito e a violência racista e LGBTfobia. Nesse segundo turno do Rio, não podemos esquecer que Bolsonaro, Pastor Malafaia e toda a direita fascista e golpista apóiam Crivella. Em defesa da democracia, e pela Liberdade LGBT Votamos Freixo 50!  

NENHUM DIREITO A MENOS!
FORA TEMER!
NÃO AO GOLPE!
FORA LGBTFOBIA!
POR UM PT DE BASE E DE LUTAS! A LUTA CONTINUA!
#LGBTDOPTVOTAFREIXO50
FREIXO 50 PREFEITO DO RIO! SAUDAÇÕES PETISTAS!

SETORIAL LGBT DO PT RJ

terça-feira, 27 de setembro de 2016

EM 2 DE OUTUBRO VOTAR 13 PELOS DIREITOS LGBT EM DEFESA DOS TRABALHADOR@S #FORATEMER


EM 2 DE OUTUBRO
VOTAR 13 PELOS DIREITOS LGBT
EM DEFESA DOS TRABALHADOR@S
#FORATEMER

Companheir@s , Setorial LGBT do PT diante da maior ofensiva contra o Partido dos Trabalhadores em sua história, conclama a militância LGBT do PT em unidade com os trabalhadores da cidade e do campo, em luta e derrotar a burguesia e o imperialismo, que conspiraram com Congresso Nacional de maioria corrupta e fascista, que deram um golpe contra a Presidenta legítima Dilma, mulher honesta e guerreira, derrubada sem crimes, nossa homenagem e solidariedade a Companheira Dilma. O Golpe comandado pelo gangster mor e hoje cassado ex deputado Eduardo Cunha , com apoio de setores da Justiça - STF e a Mídia Golpista, mergulharam o país em um estado de exceção, que segue sua farsa da República Fascista de Curitiba, com a tropa reacionária e ultra liberal de Moro e seus coxinhas, em uma campanha de terrorismo de estado, contra o PT e o Presidente Lula. Uma ditadura contra os movimentos sociais, de repressão, perseguições e prisões covardes , com apoio e cobertura da Partido da Imprensa Golpista - Veja, UOL, Rede Globo, em suas calunias e manipulações, tudo para influenciar as eleições municipais , criminalizar o PT, tentando agora a prisão de Lula. LULA é Nosso Mexeu Com ele Mexeu Conosco! Fascistas Coxinhas Não Passarão! Agora nossa tarefa é resistir, em nossas cidades , nas campanhas com as candidaturas LGBT e aliados do PT, unidas as jornadas pelo #ForaTemer com os trabalhadores , pelos direitos humanos, sociais e trabalhistas , construindo a greve geral. Tod@s pela derrubada do governo usurpador Racista, Machista, LGBTfóbico, que promove uma agenda de recolonização do Brasil, e retrocessos : Entregar o Pré Sal às multinacionais, Privatizar empresas como a Petrobras , cassar direitos de trabalhadores e aposentados, extinguir direitos da CLT, ameaça ao SUS e a Educação Pública, como a absurda reforma do ensino médio, a perseguição dos Sem Tetos e Sem Terras, a paralisia das políticas públicas de direitos humanos, LGBT , de Combate ao Racismo, da defesa das Mulheres por isso é #ForaTemer #ForaMoro ! Nessa Reta Final das Eleições Municipais, conclamo a militância LGBT do PT, nas cidades, ocupar as ruas, na luta dos trabalhador@s, em defesa dos direitos humanos de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais , em resistência popular contra a ditadura do capital. Nas cidades é Luta é 13 em defesa do PT de Dilma e Lula Vote PT Vote 13, Por Cidadania LGBT nas cidades, pelos Direitos Humanos Votar 13 em 2016 afirmando a liberdade e o socialismo !

#LGBTÉ13 Não Ao Machismo Não ao Racismo Não a LGBTfobia!

#FORATEMER !

Vivas Hebert Daniel - Vivas Márcia Marçal - Vivas Carlos Obisci
Em memória pela vitória do PT Presentes !

Carlos Alves Coordenador Setorial Nacional LGBT do PT